Cidades

X
  • Sexta-feira, 20 de Outubro
  • Onde quer que vá, vá com o coração!
Cidades

Matéria

Sexta-feira, 21.04.17 às 00:00 / Atualizado em 20.04.17 às 21:23

Empresa falha, não assume e escolas seguem sem faxineiros

Marco Antonio dos Santos
Guilherme Baffi Cristiane Malafaia Cabral - 21042017
Cristiane está preocupada com a situação das salas de aula da filha Luna

A Prefeitura de Rio Preto ameaça suspender o contrato e multar a Maza Comercial Eireli EPP, contratada para fornecer faxineiros às 38 escolas da rede municipal, em R$ 218 mil caso a empresa não apresente a documentação necessária para assumir o serviço. Enquanto o imbróglio não se resolve, pais e professores continuam colocando a mão na massa e ajudando na limpeza das unidades escolares.

A Maza, que é do Rio de Janeiro, venceu processo licitatório e deveria substituir a Alttec, empresa que deixou de fornecer 457 faxineiros para as escolas quando o contrato foi encerrado, no dia 10 de abril. Desde então, a secretária de Educação, Beth Somera, tem enviado auxiliares de serviços gerais às escolas. Mas a quantidade não é suficiente, o que exige a participação de pais e professores.

Na semana passada, pais de alunos da escola municipal Professora Anna Mantovani de Andrade, no bairro Cidade Jardim, chegaram a fazer doação de material de limpeza à unidade. A Secretaria alegou que o problema foi pontual e toda rede estava abastecida. Na quinta-feira, dia 20, professores da escola infantil Chapeuzinho Vermelho, da Vila Santo Antônio, revelaram que doaram detergente e sabão para limpar a escola.

A indefinição na limpeza das escolas preocupa mães de alunos, como Cristiane Malafaia Cabral, 40 anos. Ela questiona se está tudo limpo a ponto de evitar propagação de doenças. “Nossos filhos têm de estudar em salas limpas, porque senão correm risco de saúde”, alerta. Outra mãe de aluno, Natália Queiroz Viena, 28 anos, acha que a Prefeitura precisa pressionar a empresa terceirizada a fornecer as faxineiras.

 

Beth Somera - 21042017 Beth Somera, secretária de Educação, nega falta de materiais de limpeza

Por meio de nota, na semana passada, a Secretaria chegou a anunciar a assinatura do contrato, mas representante da empresa admitiu ao Diário que a assinatura ocorreu apenas nesta quarta-feira, dia 19. A empresa carioca ainda não apresentou garantia contratual no valor de R$ 729 mil, exigida pela Prefeitura, além de outros documentos. No Diário Oficial desta quinta-feira, 20, o município deu dois dias úteis para a empresa resolver a situação.

Outro lado

Por meio da assessoria de imprensa, a Secretaria de Educação negou falta de material de limpeza e diz que o problema na escola infantil Chapeuzinho Vermelho será solucionado. Por telefone, a terceirizada Maza informou ter assinado o contrato na quarta-feira, dia 19, e promete colocar até a próxima terça-feira, dia 25, os 457 faxineiros nas escolas.

 

Comentários

Recomendadas

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha? Clique Aqui!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 15,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Facilite seu acesso agregando uma
conta de rede social ao seu perfil
Sexo
Confirme seu cadastro

Para acessar nossos conteúdos especiais é necessario que você ative seu cadastro.

Acesse seu e-mail e clique no link que lhe enviamos. Caso não tenha recebebido, digite abaixo seu e-mail.