Diário da Região

03/02/2019 - 14h07min

GLOBO

Isabelle Drummond explora o humor em 'Verão 90'

'Eu tenho uma trajetória dramática, então, pra mim, a comédia é algo novo', diz a atriz, que vive Manuzita, uma ex-estrela mirim que quer se tornar celebridade

Brian Haider/Divulgação Isabelle Drummond é criadora da ONG Casa 197, que existe há dois anos
Isabelle Drummond é criadora da ONG Casa 197, que existe há dois anos

Isabelle Drummond se jogou na comédia para viver a protagonista Manuzita de "Verão 90", nova novela das 19h da Globo. Na trama de Izabel de Oliveira e Paula Amaral, a personagem foi uma das estrelas da Patotinha Mágica, junto com o amado, João (Rafael Vitti), e Jerônimo (Jesuíta Barbosa). Porém, os dias de glória se foram junto com o fim do grupo e, desde então, ela batalha ao lado da mãe, Lidiane (Claudia Raia), para recuperar o sucesso, mas acaba sempre se metendo em alguma confusão. O desejo da ex-estrela mirim é se tornar uma atriz famosa.

"Eu tenho uma trajetória dramática, então, pra mim, a comédia é algo novo. Quis explorar esse lugar, porque acho que isso acrescenta ao meu trabalho como atriz. A Manuzita é fora da caixa e quero que surpreenda até a mim mesma. Vou criando ao longo do processo, pois ela não é óbvia", afirma Isabelle.

Na história, a mãe de Manuzita espera que a filha se torne a estrela que ela não conseguiu ser. Por isso, está sempre no pé da menina. Segundo Isabelle, a personagem é uma versão mirim de Lidi Pantera, antigo nome artístico da progenitora. No entanto, seu visual terá diversas transformações no decorrer da trama. "O cabelo dela começa liso e, de repente, fica cacheado, porque ela está tentando fazer testes para novela e o que estava na moda nos anos 1990 era aquele cabelo cheio, bem ondulado. Depois vamos ter uma virada, uma segunda fase", adianta.

Assim como Manuzita, Isabelle também fez sucesso quando era criança na pele da boneca de pano Emília do "Sítio do Picapau Amarelo". No entanto, sua intérprete ressalta que a personagem é muito diferente dela, principalmente porque a filha de Lidiane corre muito atrás da fama. Segundo a atriz, não há o que a convença de que a vida artística não é para ela.

"A arte aconteceu naturalmente para mim. A minha mãe e o meu pai permitiram que eu fizesse testes. Já a Lidiane decidiu que a filha é uma artista. A Manuzita tem uma coisa muito independente. Mesmo que tenha esse sonho, ela vai batalhar do seu jeito. Por isso digo que ela é desconcertada... Muito diferente de mim, que sempre fui um pouco mais centrada", compara.

Ação social

Além do trabalho como atriz, Isabelle é empresária e criadora da ONG Casa 197. De acordo com ela, a ONG tem ações em comunidades carentes, mas também em áreas artísticas e já tem planos para implementar um projeto para idosos e crianças. A intérprete de Manuzita diz que é importante olhar para essas causas.

"Eu sempre tive um coração muito voltado para o social. Gosto de sentar e ouvir histórias. Então, me uni a pessoas que também tinham essa vontade. A ONG se chama Casa 197, que já temos há dois anos. Mas a gente nunca tinha feito divulgação. Só que começou a surgir a necessidade de divulgar porque muitos querem conhecer e ajudar. Queremos engajar as pessoas", explica.

Di´rio Im&ocute;veis

Di´rio Motors

Esqueci minha senha
Informe o e-mail utilizado por você para recuperar sua senha no Diário da Região.

Já sou assinante

Para continuar lendo esta matéria,
faça seu login de acesso:

É assinante mas ainda não possui senha?
Não lembro a minha senha!

Assine o Diário da Região Digital

Para continuar lendo, faça uma assinatura do Diário da Região e tenha acesso completo ao conteúdo.

Assine agora

Pacote Digital por apenas R$ 16,90 por mês.
OUTROS PACOTES


ou ligue para os telefones: (17) 2139 2010 / 2139 2020

Cadastro Grátis
Diário da Região
Clique no botão ao lado e agilize seu cadastro importando seus dados básicos do facebook
Sexo
Defina seus dados de acesso